FINAME AGRÍCOLA

Financiamento para aquisição de máquinas, equipamentos, sistemas industriais, componentes e bens de informática e automação, novos, de fabricação nacional, credenciados no BNDES, por intermédio de instituições financeiras credenciadas .

Empresas de qualquer porte

Tratores e implementos associados; colheitadeiras e suas plataformas de corte; equipamentos para preparo, secagem e
beneficiamento de café; e pulverizadores autopropelidos, montados ou de arrasto, com tanques. Itens usados, revisados e com certificado de garantia emitido por Concessionário Autorizado: tratores e colheitadeiras com idade máxima de oito e dez anos, pulverizadores autopropelidos, montados ou de arrasto, com tanques acima de 2.000 (dois mil) litros e barras de 18 (dezoito) metros ou mais, respectivamente, isolados ou associados com sua plataforma de corte; e acima de 2.000 (dois mil) litros e barras de 18 (dezoito) metros ou mais, plantadeiras usadas e semeadoras usadas com idade máxima de cinco anos.

TJLP + 1,7% a.a. + 0,4% a.a. + Spread AF (negociável)

Até 120 meses, incluída a carência de até 24 meses

(**) Carência: Nas operações com periodicidade de amortização mensal, o prazo de carência será de, no mínino, três meses.

(***) Prazo Máximo: No financiamento à aquisição ou comercialização de componentes, o prazo total será de até 36 meses.

Itens novos: até 8 (oito) anos

MPMEs e Máqs e Equiptos Eficientes 80%

- Demais 60% * 

(*)Participação do BNDES pode ser ampliada para até 80%, a parcela adicional de crédito terá custo de mercado.

Circular nº 05/2017, de 08.02.17 e Aviso nº 01/2017, de 06/01/17

30/06/18



INOVAGRO

Apoiar investimentos necessários à incorporação de inovação tecnológica nas propriedades rurais, visando ao aumento da produtividade, à adoção de boas práticas agropecuárias e de gestão da propriedade rural, e à inserção competitiva dos produtores rurais nos diferentes mercados consumidores.


Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, e cooperativas rurais de produção.

- Implantação de sistemas para geração e distribuição de energia alternativa à eletricidade convencional, para consumo próprio, como a energia eólica, solar e de biomassa, observado que o projeto deve ser compatível com a necessidade de demanda energética da atividade produtiva instalada na propriedade rural;

- equipamentos e serviços de agricultura de precisão, desde o planejamento inicial da amostragem do solo à geração dos mapas de aplicação de fertilizantes e corretivos, bem como sistemas de conectividade no gerenciamento remoto das atividades agropecuárias, não admitido o financiamento de itens enquadrados no MCR 13-3-1-b-I e 13-5;

- Automação, adequação e construção de instalações para os segmentos de avicultura, suinocultura e pecuária de leite, inclusive a aquisição integrada ou isolada de máquinas e equipamentos para essa finalidade, devendo o crédito ser concedido a beneficiário que atue na atividade há mais de um ano;

- Programas de computadores para gestão, monitoramento ou automação;

- Consultorias para a formação e capacitação técnica e gerencial das atividades produtivas implementadas na propriedade rural;

- Aquisição de material genético (sêmen, embriões e oócitos), provenientes de doadores com certificado de registro e avaliação de desempenho ou, alternativamente para pecuária de corte, o certificado especial de identificação de produção (CEIP);

- Itens que estejam em conformidade com os Sistemas de Produção Integrada Agropecuária PI-Brasil e Bem-Estar Animal, e aos Programas Alimento Seguro das diversas cadeias produtivas, e Boas Práticas Agropecuárias da Bovinocultura de Corte e Leite;

- Itens ou produtos desenvolvidos no âmbito do Programa de Inovação Tecnológica (Inova-Empresa);

- Assistência técnica necessária para a elaboração, implantação, acompanhamento e execução do projeto, limitada a 4% do valor total do financiamento;

- Custeio associado ao projeto de investimento e aquisição de matrizes e reprodutores, com certificado de registro genealógico, emitido por associações de criadores autorizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), e avaliação de desempenho.

 

6,5% a.a.

- Até 5 anos: devendo o pagamento da primeira prestação ocorrer em até 12 meses após a contratação, quando se tratar de financiamento para aquisição de matrizes e reprodutores; .

- Até 10 anos: com carência de até 3 anos, para as demais finalidades;

Obs.: operações com amortização mensal, a carência será de, no mínimo, 3 meses.

R$ 1,1 milhão por cliente, para empreendimento individual, e R$ 3,3 milhões para empreendimento coletivo, respeitado o limite individual por participante. O somatório dos recursos disponibilizados para custeio associado ao projeto de investimento e aquisição de matrizes e reprodutores fica limitado a 30% do valor do financiamento. Admite-se a concessão de mais de um financiamento para o mesmo cliente por Ano Safra, quando a atividade assistida requerer e ficar comprovada a capacidade de pagamento; e o somatório dos valores concedidos não ultrapassar o limite de crédito citado anteriormente.

Até 100%.

Circular SUP/AOI nº 20/2017, de 04/07/17.


30/06/17 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 01/07/16.



MODERAGRO


Apoiar e fomentar os setores da produção, beneficiamento, industrialização, acondicionamento e armazenamento de produtos da apicultura, aquicultura, avicultura, chinchilicultura, cunicultura, floricultura, fruticultura, palmáceas, olivicultura, produção de nozes, horticultura, ovinocaprinocultura, pecuária leiteira, pesca, ranicultura, sericicultura e suinocultura; - Fomentar ações relacionadas à defesa animal, particularmente o Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PNCEBT) e a implementação de sistema de rastreabilidade animal para alimentação humana; - Apoiar a recuperação de solos por meio do financiamento para aquisição, transporte, aplicação e incorporação de corretivos agrícolas. - Apoiar a construção e a ampliação das instalações destinadas a guarda de máquinas e implementos agrícolas e a estocagem de insumos agropecuários.


Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) e suas cooperativas, inclusive para repasse a seus cooperados.

Projetos de investimento, individuais ou coletivos, além dos seguintes:

- construção, instalação e modernização de benfeitorias, aquisição de equipamentos de uso geral, inclusos os para manejo e contenção dos animais, outros investimentos necessários ao suprimento de água, alimentação e tratamento de dejetos relacionados às atividades de criação animal ao amparo deste programa, e construção e ampliação das instalações destinadas à guarda de máquinas e implementos agrícolas e a estocagem de insumos agropecuários;

- implantação de frigorífico e de unidade de beneficiamento, industrialização, acondicionamento e armazenagem de pescados e produtos da aquicultura, aquisição de máquinas, motores, equipamentos e demais materiais utilizados na pesca e produção aquícola, inclusive embarcações, equipamentos de navegação, comunicação e ecossondas, e demais itens necessários ao empreendimento pesqueiro e aquícola;

- aquisição de matrizes e de reprodutores ovinos e caprinos;

- reposição de matrizes bovinas ou bubalinas, por produtores rurais que tenham tido animais sacrificados em virtude de reação positiva a testes detectores de brucelose ou tuberculose, desde que realizem pelo menos um teste para a doença identificada, em todo o rebanho, conforme Cadastro no Órgão Estadual de Defesa Sanitária Animal ou cujas propriedades estejam participando de inquérito epidemiológico oficial em relação às doenças citadas, e atendam a todos os requisitos referentes à Instrução Normativa nº 6, de 8 de janeiro de 2004, da Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e outros normativos correlatos; 

- obras decorrentes da execução de projeto de adequação sanitária e/ou ambiental relacionado às atividades constantes do objetivo deste Programa;

Admite-se o financiamento de custeio limitado a 35% do valor do financiamento, quando relacionado com gastos de manutenção até a obtenção da primeira colheita ou produção ou quando relacionado à aquisição de matrizes e de reprodutores bovinos na atividade pecuária leiteira.

8,5% a.a

Até 10 anos, incluída a carência de até 3 anos. Obs.: Operações com amortização mensal, a carência será de, no mínimo, 3 meses.

Empreendimento individual: Até R$ 880 mil, por cliente.

Empreendimento coletivo: Até R$ 2,64 milhões, respeitado o limite individual por participante;

Reposição de matrizes bovinas/ bubalinas, no âmbito do PNCEBT: Até R$ 220 mil, por cliente, e até R$ 5 mil, por animal.

Até 100%.

Circular SUP/AOI nº 21/2017, de 04/07/17

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17.



MODERFROTA

Financiar a aquisição, isolada ou associada a investimento, de tratores, colheitadeiras, plataformas de corte, pulverizadores, plantadeiras e semeadoras.

Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) e suas cooperativas.


Itens novos: Isoladamente ou não: · Tratores e implementos associados; · Colheitadeiras e suas plataformas de corte; · Equipamentos para preparo, secagem e beneficiamento de café; · Máquinas agrícolas autopropelidas para pulverização e adubação. Itens usados: Revisados e com certificado de garantia emitido por Concessionário Autorizado: · Tratores e colheitadeiras: idade máxima de 8 e 10 anos respectivamente, isolados ou associados com sua plataforma de corte; e · Máqs. Agrícolas autopropelidas: idade máxima de 5 anos para pulverização e adubação, plantadeiras usadas e semeadoras usadas.

MPMEs: 7,5% a.a. Média-grande e Grande empresa: 10,5% a.a

Itens novos: Até 7 anos. Itens usados: Até 4 anos Obs.: Pagamento da primeira prestação deve ocorrer em até 12 meses após a contratação;


Não há limite; - Observadas as condições do Programa, admite-se a concessão de mais de um crédito para o mesmo Beneficiário Final por Ano Agrícola, quando a atividade assistida requerer e ficar comprovada a capacidade de pagamento do Beneficiário Final.

Até 90%

Circular SUP/AOI nº 23/2017, de 04/07/17

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17 até o dia 15/06/18.



MODERINFRA

Apoiar o desenvolvimento da agropecuária irrigada sustentável, econômica e ambientalmente, de forma a minimizar o risco na produção e aumentar a oferta de produtos agropecuários; - Fomentar o uso de estruturas para a produção em ambiente protegido, com o objetivo de aumentar a produtividade e qualidade das culturas; e - Proteger a fruticultura em regiões de clima temperado contra a incidência de granizo.

Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) e suas cooperativas.

Investimentos relacionados com todos os itens inerentes aos sistemas de irrigação (inclusive infraestrutura elétrica e reserva de água); e - Aquisição, implantação e recuperação de equiptos. e instalações para proteção de cultivos inerentes à olericultura, fruticultura, floricultura, cafeicultura e produção de mudas de espécies florestais.

7,5% a.a.

Até 10 anos, incluída a carência de até 03 anos

Empreendimento individual: até R$ 2,2 milhões por cliente Empreendimento coletivo: até R$ 6,6 milhões (respeitado o limite individual por participante) Admite-se a concessão de mais de um financiamento para o mesmo cliente, por ano-safra, quando: - atividade assistida requerer e ficar comprovada a capacidade de pagamento. - o somatório dos valores concedidos ultrapassar o limite de crédito mencionado acima.

Até 100%

Circular SUP/AOI nº 22/2017, de 04/07/17.

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17.



PROCAP AGRO

Promover a recuperação ou a reestruturação patrimonial das cooperativasde produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira; e Disponibilizar recursos para o financiamento de capital de giro visando a atender as necessidades imediatas operacionais das cooperativas.

Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, associados a cooperativas de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira; - Cooperativas singulares de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira; e - Cooperativas centrais de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira. Equiparam-se às cooperativas centrais, para fins de acesso aos financiamentos no âmbito do PROCAP-AGRO, as federações e confederações que atuem diretamente na fabricação de insumos e no processamento e industrialização da produção .


Produtor Cooperado: Integralização de quotasparte do capital social em cooperativas singulares de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira.

Cooperativa Singular: Integralização de quotasparte do capital social em cooperativas centrais exclusivamente de produção agropecuária, agroindustrial, pesqueira e aquícola; Capital de giro; Crédito concedido diretamente para saneamento financeiro por meio de integralização de quotas-parte por parte de seus associados.

Cooperativa central: Capital de giro; e Crédito concedido diretamente para saneamento financeiro por meio de integralização de quotas-parte por parte de seus associados.

TJLP + de 3,7% a.a. (já incluído Spread AF de 1,6% a.a.)

* Demais operações: até 6 anos, incluídos até 2 anos de carência.

* Capital de Giro: até 2 anos, incluídos até 6 meses de carência.

Produtor Cooperado: Até 100% do valor de integralização de suas quotas-parte, limitado a R$ 45 mil, não podendo ultrapassar, por cooperativa, R$ 65 milhões em todo o Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), independente de créditos obtidos em outros programas oficiais.

Cooperativa Singular: Até R$ 65 milhões em operações destinadas à integralização de quotas-partes, devendo ser considerado o somatório dos créditos concedidos à cooperativa singular para integralização de suas quotas-partes na respectiva cooperativa central e dos créditos concedidos diretamente à cooperativa singular para integralização de quotas-partes de seu capital social por parte de seus associados, na forma prevista no MCR 5-3, devendo ainda ser computado, para fins deste limite, o montante financiado pelos produtores rurais associados para integralização de quotaspartes na cooperativa singular, bem como a parcela do crédito concedido diretamente à cooperativa central correspondente à integralização de quotas-partes por parte da cooperativa singular, na forma prevista no MCR 5-3.

Capital de Giro: o limite de crédito é de até R$ 65 milhões por cooperativa, independentemente de créditos obtidos com a integralização de quotas-partes, tanto dos cooperados na cooperativa singular, quanto da cooperativa singular em cooperativa central.

Cooperativa central: Até R$ 65 milhões para capital de giro, independentemente de créditos obtidos com a integralização de quotas-partes de suas cooperativas singulares.

Até R$ 65 milhões em operações de crédito concedidas diretamente à cooperativa central para integralização de quotas-parte de seu capital social por parte de seus associados, na forma prevista no MCR 5-3, devendo ainda ser computado, para fins deste limite, o montante financiado pelas cooperativas singulares associadas para integralização de quotas-parte na cooperativa central.

Até 100% (cem por cento) do valor de integralização de suas quotas-parte, limitado a R$ 40.000,00 (quarenta mil reais), não podendo ultrapassar, por cooperativa, R$ 50.000.000,00 (cinquenta milhões de reais) em todo o Sistema Nacional de Crédito Rural (SNCR), independente de créditos obtidos em outros Programas.

Circular SUP/AOI nº 25/2017 de 04/07/17.

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05.07.2017.

 



PRODECOOP


Incrementar a competitividade do complexo agroindustrial das cooperativas brasileiras, por meio da modernização dos sistemas produtivos e de comercialização.


Cooperativas singulares de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira; - Cooperativas centrais formadas exclusivamente por cooperativas de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira; e - Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas, associados de cooperativas de produção agropecuária, agroindustrial, aquícola ou pesqueira, para integralização de quotas-parte vinculadas ao projeto a ser financiado.

Estudos e projetos; aquisição, transferência e absorção de tecnologia, desde que incorporada ao projeto;

- Obras civis, instalações e outros investimentos fixos;

- Máquinas e equipamentos nacionais novos credenciados no BNDES, também de forma isolada, quando destinados à modernização no âmbito dos setores e ações enquadráveis no Programa;

- Despesas de importação, em moeda nacional, vinculadas à importação de equipamentos;

- Capital de giro associado ao projeto de investimento, limitado a 30% do valor financiado;

- Integralização de quotas-partes vinculadas ao projeto a ser financiado;

- Projetos de industrialização de produtos prontos para o consumo humano, processados e embalados.

8,5% a.a

Até 10 anos, incluída carência de até 3 anos. Obs.: Carência pode ser estendida para pagamento dos juros, caso o projeto demonstre essa necessidade.

Até 90% do valor do projeto

Até 90%

Circular SUP/AOI nº 24/2017, de 04/07/17

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17.

 



PROGRAMA ABC

Reduzir as emissões de gases de efeito estufa oriundas das atividades agropecuárias; - Reduzir o desmatamento; - Aumentar a produção agropecuária em bases sustentáveis; - Adequar as propriedades rurais à legislação ambiental; - Ampliar a área de florestas cultivadas; e - Estimular a recuperação de áreas degradadas

Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas), e suas cooperativas, inclusive para repasse a cooperados.

Investimentos destinados a projetos de:

- Recuperação de pastagens degradadas (ABC Recuperação);

- Implantação de sistemas orgânicos de produção agropecuária (ABC Orgânico);

- Implantação e melhoramento de sistemas de plantio direto "na palha" (ABC Plantio Direto);

- Implantação de sistemas de integração lavoura-pecuária, lavoura-floresta, pecuária-floresta ou lavoura-pecuária-floresta e de sistemas agroflorestais (ABC Integração);

- Implantação, manutenção e melhoramento do manejo de florestas comerciais, inclusive aquelas destinadas ao uso industrial ou à produção de carvão vegetal (ABC Florestas);

- Adequação ou regularização das propriedades rurais frente à legislação ambiental, inclusive recuperação da reserva legal, de áreas de preservação permanente, recuperação de áreas degradas e implantação e melhoramento de planos de manejo florestal sustentável (ABC Ambiental);

- Implantação, manutenção e melhoramento de sistemas de tratamento de dejetos e resíduos oriundos de produção animal para geração de energia e compostagem (ABC Tratamento de Dejetos);

- Implantação, melhoramento e manutenção de florestas de dendezeiro, prioritariamente em áreas produtivas degradadas (ABC Dendê); e

- Estímulo ao uso da fixação biológica do nitrogênio (ABC Fixação).

- Implantação, melhoramento e manutenção de plantações de açaí, cacau, oliveira e nogueira (ABC Cultivos Permanentes).

7,5% a.a.

- Até 5 anos, devendo o pagamento da primeira parcela ocorrer em até 12 meses após a contratação.

Aquisição de bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos, para produção, recria e terminação, sêmem, óvulos e embriões destas espécies, limitada a 40%  do valor financiado;

- Até 12 anos com carência de 8 anos, mão podendo ultrapassar 6 meses da data do primeiro corte ou colheita.

Projeto para implantação e manutenção de florestas comerciais e para produção de carvão vegetal, projeto para implantação e manutenção de florestas de dendezeiro, açaí, cacau, oliveiras e nogueiras, e projetos para recomposição de manuatenção de áreas de preservação permanente ou reserva lega;

- Até 10 anos incluindo  carência de 5 anos.

Demais finalidades.

 

Até R$ 2.200 milhões por cliente, por ano-safra.

Independentemente de outros créditos concedidos ao amparo de recursos controlados do crédito rural, admitindo-se a realização de mais de uma operação por Beneficiário, respeitado o limite aqui descrito, bem como as seguintes condições:

         - quando a atividade assistida assim requerer; 

         - ficar comprovada a capacidade de pagamento do Beneficiário.

Quando se tratar de financiamento para implantação de florestas comerciais, o limite acima previsto pode ser elevado para até R$ 5 milhões.

No tocante aos financiamentos à cooperativa para repasse a cooperado, os limites acima previstos referem-se a cada cooperado beneficiado pelo financiamento.

As operações no âmbito deste Programa não comprometerão o limite por Beneficiário, a cada período de 12 meses, estabelecido para as operações realizadas no âmbito do BNDES Automático.

Até 100%

Circular SUP/AOI nº 18/2017, de 04/07/17.

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17.

 



BNDES Automático

Financiamento, por intermédio de instituições financeiras credenciadas, a projetos de investimento, cujos valores de financiamento sejam inferiores ou iguais a R$ 20 milhões. Esse valor também representa o máximo que cada cliente pode financiar a cada período de 12 meses, contados a partir da data de homologação da operação pelo BNDES. Itens Financiáveis Investimentos para implantação, ampliação, recuperação e modernização de ativos fixos, bem como projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação, nos setores de indústria, infraestrutura, comércio, prestação de serviços, agropecuária, produção florestal, pesca e aquicultura.

Pessoas jurídicas de direito privado, sediadas no País; · Pessoas jurídicas de direito público interno, à exceção da União; · Pessoas físicas residentes e domiciliadas no País, para investimento nos setores agropecuário, de produção florestal, de pesca e aquícola, inclusive nos serviços diretamente relacionados; e · Empresários individuais.

Capital de Giro Associado MPME: até 30% Grande Empresa: até 15% Garantias Negociadas entre a instituição financeira credenciada e o cliente poderá complementar a garantia, utilizando o (BNDES FGI).

 

Definidos em função da capacidade de pagamento do empreendimento, do cliente ou do grupo econômico ao qual pertença.

 

 



PRONAF MAIS ALIMENTOS

Apoio financeiro a investimento para promover o aumento da produção e da produtividade e a redução dos custos de produção, visando à elevação da renda da família produtora rural.

São financiáveis itens diretamente relacionados com a implantação, ampliação ou modernização da estrutura das atividades de produção, de armazenagem, de transporte ou de serviços agropecuários ou não agropecuários, no estabelecimento rural ou em áreas comunitárias rurais próximas.

Crédito destinado à aquisição, isolada ou não, de máquinas, equipamentos e implementos, pode ser concedido para:

- Itens novos produzidos no Brasil: que constem da relação da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, observando a descrição mínima e valor máximo de cada item; e da relação do CFI do BNDES; atendam aos parâmetros relativos aos índices mínimos de nacionalização definidos nos normativos do BNDES aplicáveis ao FINAME; e tenham até 80 oitenta cavalosvapor de potência, quando se tratar de tratores e motocultivadores; observado, por fim, que o plano, projeto ou orçamento deve conter o código da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário e do CFI do BNDES, referente ao item a ser adquirido;

- Itens novos produzidos no Brasil: inclusive os que não constam da relação da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário e da relação de CFI do BNDES, até o limite de crédito de R$ 10 mil reais por item financiado, salvo ordenhadeiras e seus componentes, que devem constar da relação de CFI do BNDES, mesmo quando de valor igual ou inferior a R$ 10 mil reais;

- Itens usados de valor financiado de até R$ 100 mil: quando se tratar de colheitadeira automotriz, e de R$ 50 mil para os demais casos, fabricados no Brasil, revisados e com certificado de garantia emitido por concessionária ou revenda autorizada, podendo o certificado de garantia ser substituído por laudo de avaliação emitido pelo responsável técnico do projeto atestando a fabricação nacional, o perfeito funcionamento, o bom estado de conservação e que a vida útil estimada da máquina ou equipamento é superior ao prazo de reembolso do financiamento;

- Itens novos importados: sem fabricação no Brasil de itens com a mesma função atestada no plano, projeto ou orçamento, exclusivamente para apoio por meio das Linhas PRONAF Mais Alimentos. A comprovação de inexistência de similar nacional deverá ser realizada por meio dos documentos exigidos pelo Produto BNDES Automático, os quais deverão ser mantidos no dossiê da operação.

2,5% a.a. – adoção de práticas conservacionistas de uso/manejo e proteção dos recursos naturais, correção da acidez; fertilidade do solo e aquisição, transporte e aplicação dos insumos p/ estas finalidades; formação/recuperação de pastagens/capineiras e demais espécies, produção/conservação de forragem, silagem/feno destinados à alimentação animal; implantação/ampliação/reforma de infraestrutura de captação/armazenamento/distribuição de água, aquisição/instalação de reservatórios d’água, infraestrutura elétrica e equiptos. p/ irrigação; aquisição /instalação de estruturas de cultivo protegido e equiptos. de automação; construção de silos, ampliação/construção de armazéns; aquisição de tanques de resfriamento de leite e ordenhadeiras.

5,5% a.a. – demais empreendimentos e finalidades.

até 10 anos: com até 3 anos de carência - até 5 anos: para caminhonetes de carga;

- R$ 330 mil: atividades de suinocultura, avicultura, aquicultura, carcinicultura (criação de crustáceos) e fruticultura;

- R$ 165 mil: demais empreendimentos/finalidades.

Circular - Circular Sup/Agris nº 16/2017, de 04/07/17.

Até 30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17



PRONAMP

Promover o desenvolvimento das atividades rurais dos médios produtores rurais, por meio de crédito para inversões fixas e semifixas em bens e serviços relacionados com a atividade agropecuária, bem como para o custeio associado a esses investimentos

Produtores rurais (pessoas físicas ou jurídicas) que explorem a terra na condição de proprietário, posseiro, arrendatário e parceiro e que, cumulativamente:

- Tenham, no mínimo, 80% de sua renda bruta anual originária da atividade agropecuária ou extrativa vegetal; e

-  Possuam renda bruta anual de até R$ 1.760 milhões.

O cálculo da renda bruta anual deve considerar a soma dos valores correspondentes a 100% do Valor Bruto de Produção (VBP), 100% do valor da receita recebida de entidade integradora e das demais rendas provenientes de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele e 100% das demais rendas não agropecuárias.

Quando o produtor rural (pessoa jurídica) integrar um grupo econômico, deverá ser considerada a Receita Operacional Bruta consolidada do grupo.

Investimentos individuais ou coletivos relativos a bens e serviços necessários ao empreendimento, desde que diretamente relacionados com a atividade produtiva, observado o disposto no MCR

7,5% a.a.

Até 8 anos, incluída a carência de até 3 anos. Nas operações com periodicidade de amortização mensal, o prazo de carência será de, no mínimo, 3 .meses.

Empreendimento individual: até R$ 430 mil por beneficiário e ano-safra; Empreendimento coletivo: R$ 20 milhões, respeitado o limite individual de R$ 430 mil por participante

Circular SuP/AOI nº 17/2017 de 04/07/17

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17.



PROGRAMA PCA

Apoiar investimentos necessários à ampliação, modernização, reforma e à construção de novos armazéns.

Produtores rurais, pessoas físicas ou jurídicas e cooperativas rurais de produção.

Investimentos individuais ou coletivos, vinculados ao objetivo do programa, referentes exclusivamente a projetos para ampliação, modernização, reforma e construção de armazéns destinados à guarda de grãos, frutas, tubérculos, bulbos, hortaliças, fibras e açúcar.

6,5% a.a.

Até 15 anos, com carência de até 3 anos. Obs.: operações com amortização mensal, o prazo de carência será de, no mínimo, 3 meses.

Não há limite por Beneficiário, por Ano Agrícola, observado que os valores financiados são independentes de outros créditos contraídos ao amparo de recursos controlados do crédito rural. - Admite-se a concessão de mais de um financiamento para o mesmo Beneficiário por Ano Agrícola, quando a atividade assistida requerer e ficar comprovada a capacidade de pagamento do Beneficiário. - Cada operação de financiamento realizada no âmbito deste Programa, operacionalizada pelo Produto BNDES AUTOMÁTICO, não poderá ultrapassar o Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI 4 valor de R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais). Solicitação de financiamento para projeto de investimento de montante superior a R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais) deverá ser operacionalizada por meio de Apoio Direto ou Indireto Não-Automático. - As operações no âmbito deste Programa não comprometerão o limite por Beneficiário, a cada período de 12 (doze) meses, estabelecido para as operações realizadas no âmbito do BNDES Automático.

Circular SUP/AOI nº 19/2017 de 04/07/17

30/06/18 Obs.: Os pedidos de financiamento deverão ser protocolados no BNDES, para aprovação, a partir de 05/07/17



CARTÃO BNDES

Baseado no conceito de cartão de crédito, visa financiar os investimentos das micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) e dos microempreendedores individuais (MEIs).

MEIs e MPMEs (com faturamento bruto anual de até R$ 300 milhões) sediados no País, de controle nacional, com atividade econômica compatível com as Políticas Operacionais e de Crédito do BNDES e que estejam em dia com o INSS, FGTS, RAIS e tributos federais.

Produtos expostos no Catálogo de Produtos do Portal de Operações do BNDES

(https://www.cartaobndes.gov.br/cartaobndes/PaginasCartao/Catalogo.asp?Acao=BS)

1,35% a.m. (ago/17)

 

03 a 48 meses (Bradesco, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Banrisul, BRDE, Itaú, Santander, Sicoob e Sicredi) 3, 6, 12, 18, 24, 30, 36, 42 e 48 (Caixa Econômica Federal)

R$ 2 milhões (por cartão emitido)